Emo no trem

Eminho no trem trocando idéia com o miguxo:

- Meu, aí começou aquela música lá, entrei na roda, maior bate-cabeça…

- CARACA, QUE FODA!

 

Casal ao lado, com blusa do Scorpions:

- Emo faz bate-cabeça?

- Bate-franjinha.

 

Postado por: Kátia (via @inesbarreto)

Esclarecendo um problema

Logo cedo, entro no vagão e claro que não consigo sentar. Fico em pé bem em frente a duas mulheres sentadas, e é inevitável não ouvir a conversa. A da esquerda está falando que sua filha vai casar e eles vão ter que aumentar o puxadinho no fundo da casa dela. Prefiro nem imaginar o perfil do casal que resolveu juntar os trapos. Quando ela vai prosseguir a conversa, se depara com uma dúvida. Ela queria dizer que havia um problema para iniciarem a obra, mas não sabia como pronunciar a palavra problema.

- Nossa, eu tenho uma dificuldade… Nunca sei se fala ‘poblema’ ou ‘pobrema’.

Até que a outra sabiamente explica para a colega:

- Então, ‘poblema’ é de conta, matemática. ‘Pobrema’ são as coisas da vida mesmo.

Por essa nem o Professor Pasquale esperava!

Postado por: Sartô

Primeiro apito

O trem é um ambiente riquíssimo em cultura popular. O das 7 (19 horas) então, nem se fala. Lotado de pessoas cansadas, que trabalharam o dia inteiro, aquele cheirinho característico, calor humano…

As histórias aqui retratadas se passaram e ainda se passam nos trens das linhas 7 e 10 da CPTM, em São Paulo. Mesmo utilizando um transporte público deficiente e superlotado, ainda é possível se divertir com as histórias ouvidas e vividas no trajeto.

Postado por: Sartô

Tags: Sartô Início